Blog optimizado para Mozilla Firefox

O MORCEGUISMOS é um espaço inteiramente dedicado aos morcegos e pretende ser um veículo de divulgação e sensibilização. Neste espaço cabe a divulgação de projectos em curso ou concluídos, notícias, e actividades diversas.

Para além disso pretende-se que contribua para uma aproximação do público a este grupo faunístico, e que este público tome parte no aumento do conhecimento sobre morcegos em Portugal, nomeadamente através da informação sobre abrigos de que tenham conhecimento.

No futuro pretende-se ainda criar uma linha de apoio a qualquer assunto relacionado com morcegos, como seja o socorro de morcegos encontrados feridos ou a perturbação de abrigos, entre outros.

Espera-se desta forma dar um contributo importante para a conservação das espécies de morcegos portuguesas.

7 de Dezembro de 2011

O tamanho importa?

Num interessante post do blog Um dia de Campo, o Paulo Barros debruça-se sobre a importância dos pontos de água para os morcegos, bem como as características que mais beneficiam a presença de morcegos. A sua importância é tanto maior quanto maior for a aridez da região, e em zonas de reduzida disponibilidade hídrica, pontos de água que à primeira vista nos parecem desprezíveis podem ser fundamentais para a permanência de algumas espécies na região.

Capturas realizadas durante o Verão permitiram confirmar uma situação bastante curiosa. Numa zona em que a presença de manchas de folhosas maduras é reduzida foram capturados, numa única noite, num tanque com uma área inferior a 3m2 quato Myotis bechsteinii. Esta espécie é considerada rara sendo o número de observações em Portugal reduzido e o resultado foi ainda mais inesperado tendo em conta as características da paisagem. Tratando-se de uma espécie tipicamente associada a bosques de folhosas, o número de indivíduos capturadas numa região dominada por paisagem agrícola e matos, embora com existência de alguns bosquetes de carvalhos na proximidade, foi surpreendente. Na mesma noite foram capturados mais seis indivíduos num total de cinco espécies (Myotis escalerai, M. bechsteinii, Barbastella barbastellus, Pipistrellus pipistrellus e P. kuhlii).

Esta observação levanta duas questões interessantes. A possibilidade de concentração de espécies raras em condições sub-óptimas e, nestas condições, qual a importância da dimensão de algumas características da paisagem, como sejam as manchas de folhosas ou até mesmo os pontos de água.
Myotis bechsteinii

Sem comentários: